Acidente em Angra dos Reis – Parentes reclamam de burocracia para liberar corpos no IML do Rio

Janeiro 2, 2010 | Acidentes, América do Sul, Angra dos Reis, Brasil, Entretenimento, Foto, Incidentes, Mundo, Polícia, Réveillon, Rio de Janeiro, TV, Videos


IML pede documentos para preencher atestado com nome.
Instituto diz que procedimento precisa de ‘cuidado’.

Dezenas de parentes da cidade de Arujá, no interior de São Paulo, se reúnem no Instituto Médico Legal (IML) do Rio em busca de informações de vítimas da chuva em Angra dos Reis. Alguns deles reclamam da burocracia para liberar os corpos das vítimas já identificadas.

Parentes da família Baccin aguardam desde as 3h a liberação dos corpos de Marcio, Cecília e Giovane. Segundo o irmão de Márcio, Anderson Baccin, de 24 anos, o IML exige a carteira de identidade das vítimas, que se perdeu nos escombros da Ilha Grande.

”É uma falta de respeito. Agora, para tentarmos a liberação, tivemos que pedir que um amigo desembarcasse de um cruzeiro, em Salvador, onde eles moravam, para tentar pegar algum documento original lá e pegar um avião pra trazer pra cá”, explicou Anderson.

O IML informa que, para que o nome da vítima conste no atestado de óbito, o procedimento padrão do instituto exige documentos originais da vítima e da pessoa que a identifica.

“Isso pode ser demorado. Mas é uma questão que envolve outras coisas como pensões, seguros e precisa ser feito com cuidado”, explicou o diretor-geral do IML do Rio de Janeiro, Frank Perlini. No caso da emissão da certidão sem o nome, a família pode, mais tarde, fazer a segunda via do documento em cartório, já em posse dos devidos documentos.

Na manhã deste sábado (2), outros três corpos encontrados na área de deslizamento em Ilha Grande foram entregues ao IML do Rio. Pouco antes da chegada desses corpos, outro corpo, que já estava no IML, havia sido identificado como Ricardo Ferreira da Silva.

Ricardo, que passava o réveillon com um grupo de amigos de Arujá, era namorado de Natália Pacheco, uma das vítimas identificadas no IML de Angra dos Reis. Segundo parentes, os dois estavam de casamento marcado para março.

No Rio, foram identificados ainda Marcio Luiz Baccin, 31 anos, Cecília Secco Baccin, 30, e o filho Giovane Secco Baccin, 3, os três de Arujá. Além deles, também foram identificados Renato de Assis Repetto, 50, Gabriela Ribaski Repetto, 9, Geovana Ribaski Repetto, 12 e Ilza Maria Roland, 50.

Corpos identificados

Vítimas de Arujá
Segundo parentes, dezessete pessoas de Arujá alugaram uma casa na enseada de Bananal, na Ilha Grande. Quatro delas sobreviveram, entre elas Flávio Larini, filho do prefeito do município. Outras quatro pessoas já tiveram seus corpos identificados.

“O pior de tudo é não ter informação. Estamos todos aqui na esperança de eles estarem em algum hospital ou serem resgatados vivos”, desabafou Pedro Correa, tio de Emanuelle Rodrigues, 33 anos, uma das desaparecidas, namorada de Flávio.

De acordo com ele, além do filho do prefeito, outras três pessoas foram jogadas no mar. Identificados apenas como Luis Henrique, Gerson e Eni, eles nadaram e conseguiram subir em pedras até serem resgatados por pescadores da região. O prefeito da cidade acompanha os trabalhos de resgate em Angra.

Fonte G1

Comentários (2)

 

  1. sangelis disse:

    Que jesus dê a conformão a todos vocês que perderam seus entes queridos. Que eles estejam em paz , nas mãos do senhor jesus.

  2. Edgar elias disse:

    ” PERDEMOS UMA PESSOA MUITO ESPECIAL PARA TODOS NÓS” MAS TEMOS CERTEZA Q ELA ESTA EM BOAS MÃOS!!!!! “PRISCILA DE OLIVEIRA”. DESCANCE EM PAZ POIS NÓIS, SEUS AMIGOS AINDA TEMOS UMA GRANDE BATALHA PELA FRENTE UMA DELAS É TENTAR Ñ ACREDITAR Q VC SI FOI……………………….

    DESCANCE EM PAZ ANJO!!!!!!!!!!

Deixe seu comentário

Sobre este site

Site que reúne as notícias mais relevantes da mídia nacional e internacional.