Avião Air France – São 49 corpos encontrados, Marinha retifica a quantidade total das vítimas no acidente do Airbus

junho 14, 2009 | Acidentes, América do Sul, Aviação, Brasil, Europa, Incidentes, Pernambuco, Recife

 A Aeronáutica e a Marinha informaram nesse domingo que foram localizados e tirados das águas do oceano Atlântico 43 vítimas do voo AF447 da Airbus, e não 44 como fora inicialmente informado. Segundo comunicado à imprensa, a retificação ocorreu após o trabalho de pré-identificação realizado em Fernando de Noronha por peritos da Polícia Federal e da Secretaria de Defesa Social do Estado de Pernambuco. Segundo a PF , o erro ocorreu porque um fragmento de cerca de 80 centímetros que acreditava-se ser de uma das vítimas se revelou, após análise, um pedaço de um animal marinho de grande porte que pode ter sido atingido por alguma embarcação de pesca. Durante as buscas desse domingo, nenhum novo corpo ou destroços foram encontrados, apesar das condições meteorológicas mais favoráveis do que as encontradas pelas equipes de buscas no sábado.

Ao menos 16 corpos estão irreconhecíveis e em adiantado estado de decomposição. Para evitar novos erros de contabilidade no futuro, a Marinha informou que passará a utilizar o termo “despojo mortal” ao invés de corpo para o que for encontrado no oceano. Esse domingo, um Hércules C-130 da Força Aérea Brasileira pousou em Recife com seis corpos catalogados e pré-identificados em Fernando de Noronha (PE). Eles se juntaram a outros 37 que já haviam sido encaminhados à capital pernambucana.

Os seis corpos que foram recolhidos pela Marinha francesa foram transferidos para a fragata Bosísio, da Marinha brasileira. A previsão era de que fragata deixasse a área de buscas na noite desse domingo e chegue a Fernando de Noronha amanhã. Caso a Marinha brasileira confirme o número de corpos encontrados pela embarcação francesa, sobe para 49 o número de vítimas encontradas.

O representante do governo francês, o embaixador Pierre-Jean Vandoorne, se reuniu nesse domingo com as equipes que participam das buscas. Vandoorne anunciou que a Air France está emitindo atestados de presença no voo 447 para os parentes dos passageiros do Airbus A330. O objetivo é acelerar o pedido do atestado de óbito por parte dos familiares.

Os destroços do Airbus da Air France que estavam em uma embarcação da Marinha brasileira também chegaram a Recife na manhã desse domingo. As peças estavam na fragata Constituição e serão entregues a autoridades francesas, responsáveis pela investigação do que ocorreu. A operação para retirar da fragata a maior peça encontrada até o momento pela equipes de buscas, um destroço que parece ser uma parte da fuselagem com 14 metros de altura e 4,5 metros de largura, levou cerca de uma hora. A Aeronáutica não informa oficialmente de qual parte da aeronave é o pedaço encontrado. Extraoficialmente, oficiais da Aeronáutica admitem que trata-se da cauda do avião.

O capitão-de-fragata Marcos Borges Sertã, comandante da fragata Constituição, afirmou nesse domingo que toda a tripulação permaneceu motivada durante os 13 dias de buscas no oceano. Sertã afirmou que a operação foi a mais difícil que teve nos 25 anos de carreira.

– É muito difícil, depende da meteorologia e de vários outros fatores. É complexo quando você faz buscas por um local que você não sabe exatamente onde fica – explicou. – Dessa missão eu levo a bravura e a valentia da tripulação.

Sonares
A busca pelas duas caixas-pretas, que possivelmente estão a cerca 3.500 metros de profundidade, devem ser intensificadas nos próximos dias. O submarino nuclear francês “Emeraude” começou a patrulhar a zona onde o avião havia caído, na tentativa de que seus sonares ultrassensíveis captem os sinais que dois gravadores de voo emitem. Outros dois navios fornecidos pela França devem também trabalhar com dois sonares instalados em um cabo de quilômetros de extensão emprestados pelo Exército norte-americano. O navio francês de exploração submarina “Pourqoi pas” também chegou à zona de buscas com um submarino e um robô.

Familiares de ocupantes do voo 447 da Air France criaram, na França, uma associação. A decisão partiu de Christophe Guillot-Noël, irmão de uma das vítimas do acidente, e tem o objetivo de compensar uma suposta “falta de apoio” da Air France, revelou ontem o jornal Le Parisien. O grupo será chamado de “Associação pela Verdade e pela Defesa dos Direitos das Vítimas do Voo AF 447”.

– Estamos muito decepcionados com a falta de humanidade por parte da Air France. Não sentimos nenhuma empatia de parte da companhia aérea – disse Guillot-Noël ao jornal. (Com agências)

Fonte: JB OnLine

Comentários (2)

 

  1. […] O presidente da França, Nicolas Sarkozy, prometeu nesta segunda (15) ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que irá indenizar todas as famílias das vítimas do acidente com o Airbus da Air France. […]

    • MMMMM disse:

      Até hj nao sei de alguem que tenha recebido qualquer indenizacao do Governo de Sarkozy. Dinheiro jamais trará de volta as vidas que se foram ou as de seus familiares totalmente destroçadas pela incompetencia e ganancia da empresa que julgou ser mais rentavel correr o risco que manter suas aeronaves fora de risco.
      A estupidez, frieza e egoismo franceses sao expostas atraves desta tragédia e ninguem se importa. Continuamos, brasileiros idolatrando a Franca e gastando nossas economias com turismo rentável aos mesmos que jamais respeitaram nosso povo. Basta ler um pouco de história.

Deixe seu comentário

Sobre este site

Site que reúne as notícias mais relevantes da mídia nacional e internacional.