Casas populares – Casa de plástico é construída em três dias e custa R$ 13 mil

setembro 6, 2010 | Padrão

Casas populares – Casa de plástico é construida em três dias e custa R$ 13 mil
Engenheiro constrói casa em três dias usando plástico reciclado como matéria-prima

Televisões que não funcionam mais, garrafas de refrigerante, potes quebrados e sacolas plásticas que iriam para o lixo podem significar a solução para suprir a falta de moradias a um preço acessível. Uma casa feita quase totalmente de blocos de encaixar, assim como as casinhas de Lego, pode custar R$ 13 mil e ser uma das respostas para o avanço da habitação no país.

Trata-se de um imóvel com dois quartos, um banheiro e uma sala conjugada à cozinha, com cerca de 45 m² (metro quadrado) de área privativa, como explica o engenheiro civil Joaquim Caracas. Ele é dono da Impacto Protensão, empresa da área de construção civil do Ceará que desenvolveu o projeto.

– Ela é toda feita de material reciclado, do piso ao teto, e qualquer um pode montar. Demora de dois a três dias para ficar pronta e não requer mão de obra especializada. É como um brinquedo Lego mesmo.

O produto ainda não está à venda porque passa por testes. O engenheiro diz que espera colocar a casa de plástico em produção industrial ainda neste ano.

– Das 400 instalações que operamos, por meio de aluguel, conseguimos um preço de custo de R$ 370 o m². Se entrar em uma escala industrial, a tendência é baratear. Esperamos neste ano obter todos os certificados para começar a procurar um parceiro para investir no projeto.

Sem alicerce

A casa não tem alicerce. Ela é montada sobre uma placa metálica instalada no terreno. Nela são afixadas as paredes, que são feitas de um tipo de polietileno (um dos compostos químicos que formam o que chamamos de plástico) preenchidas com uma espuma. Internamente, eles contam com estrutura metálica e dutos para encanamento e instalação elétrica.

O material é mais leve do que o concreto ou a madeira e tão resistente quanto os tijolos. Caracas conta que sua maior preocupação quando começou a montar a casa de plástico era a isolação térmica.
O problema foi resolvido quando as placas ganharam um espaço oco por dentro. Isso fez com que esse “vazio” funcionasse como isolante, nos moldes das geladeiras de isopor, sem esquentar demais o interior do imóvel ou causar desconforto aos ocupantes.

– A ideia surgiu há uns dois anos e meio, quando eu buscava uma forma de substituir aquelas placas de compensado por plástico reciclado. Eu usava aquelas folhas de madeira para isolar a obra e pensei ‘por que não fazer uma casa com isso’?

Ele diz que a primeira casa foi feita dentro da UFCE (Universidade Federal do Ceará) para testar os materiais e a viabilidade do projeto. Hoje, a ideia funciona em cerca de 400 instalações, de salas de aula a sedes da guarda municipal, escritórios de construção, chalés e quiosques em Fortaleza (CE) e Recife (PE).

Caracas conta que a vantagem é a praticidade e a facilidade para montar uma casa do tipo. Mas ele reconhece que há uma desvantagem:

– O que acontece é que há preconceito sobre ela, por ser feita de material reciclado. Quando eu comecei a minha ideia era fazer uma casa, mas tem tanta coisa que dá para construir que isso poderia ser viável em comunidades carentes para fazer escola e posto de saúde, entre outros.

Fonte R7

Comentários (6)

 

  1. Rick disse:

    Gostaria de saber quando vai começar a fabricar em grande escala.

    E porque vc não entrou em contato com a USP e BNDS que fazem parcerias com projetos iguais ao seu.

    E existem ONGs que tambem fazem investimentos com coisas ecologicas e de qualquer natureza que contribua com a ecologia.

    favor me dizer qdo vão começar a vender, tenho grande interesse em contribuir com o planeta e alem de tudo, contribuir para divulgação da sua boa invenção.

    O governo deveria ser o primeiro a colaborar com seu projeto, sendo que, minha casa e minha vida está inflacionando o mercado com imóveis contruidos por construtores particulares, e assim se estabeleceram novas mafias no mercado imobiliário.

  2. mari disse:

    Imagino o risco de incênciao triplicado numa casa de plastico, sem contar que a plastico queimando ao cair na pele cola. A vida vale muito mais que este tipo de economia.

  3. Adriane disse:

    Olá. Sou de Florianopolis, estudante de Biologia e preciso de uma casa. Como o nosso dinheiro é curto queremos uma alternativa barata e inteligente. Adoramos a idéia da casa. Encontramos esta e outra do Paraná. Mas infelizmente as casas não são reais ao público comum, já que uma ainda não está sendo comercializada(não tem a devida certificação) e a outra somente está á venda para grandes empresas que constroem condomínios, o que inviabiliza a aquisição. Mais uma vez caio na burrocracia brasileira ….

  4. maria jose disse:

    Puxa vida, cara, é o que to procurando.Como posso ter mais informação?

  5. elso mutoi diota disse:

    parabens o mundo precisa de pessoas como vc.

  6. luci tonete disse:

    parabems o mundo precisa de pesoas como vc .

Deixe seu comentário

Sobre este site

Site que reúne as notícias mais relevantes da mídia nacional e internacional.