Caso Bruno – Menor falou que mão de Eliza Samudio, ex-namorada do goleiro do Flamengo, foi jogada a cães.

julho 7, 2010 | Acidentes, Brasil, Carro, Celebridade, Comportamento, Crime, Goleiro, Minas Gerais, Polícia, Violência


Jovem disse que ouviu goleiro pedir para ‘resolverem o problema’.
Ele disse ter visto mão de ex-namorada de Bruno ser jogada a cães.

O Jornal Nacional teve acesso com exclusividade ao depoimento que provocou uma reviravolta no caso Bruno. Em quatro folhas, o menor apreendido na terça-feira (6) na casa do goleiro do Flamengo conta sua versão dos fatos. Ele disse que foi convidado por Luiz Henrique Ferreira Romão, o amigo de Bruno conhecido como Macarrão, a levar Eliza Samudio ao sítio do goleiro em Minas Gerais. Macarrão já tinha planejado tudo e mandou o adolescente se esconder no porta-malas do carro.

Já com o carro em movimento, o menor conta que estava na mala do veículo e pulou para o banco de trás com a arma em punho, rendendo Eliza e dizendo: “perdeu Eliza”
Segundo o adolescente, Eliza conseguiu pegar a arma e atirou contra o menor, mas a arma estava sem munição. O adolescente conseguiu recuperar a arma e deu três coronhadas na cabeça de Eliza.

O jovem diz que a viagem continuou até o sítio de Bruno. O rapaz dormiu em um quarto. Macarrão em outro. E Eliza, com o filho, dormiu em um terceiro quarto. Havia também uma empregada doméstica.

No dia seguinte, Eliza não permaneceu trancada. Sérgio Rosa Sales, que chegou naquele dia, passou a vigiar Eliza, segundo o menor.

Ele disse que viu Sérgio entregar um telefone para que Eliza ligasse para uma amiga de São Paulo. Sérgio mandava dizer que estava tudo bem, que ela receberia dinheiro e um apartamento em Belo Horizonte. Eliza foi ameaçada de morte caso não dissesse o combinado.

O menor conta que, no dia seguinte, Bruno chegou de táxi ao sítio, pois tinha viajado de avião para Belo Horizonte. O adolescente conta que ouviu Bruno dizer para Macarrão e Sérgio que era para eles resolverem o problema. Que não queria problemas para o lado dele e que ele, Bruno, não saberia de nada.

Segundo o depoimento, Macarrão e Sérgio disseram que não poderiam libertar Eliza, pois o problema seria ainda maior. Bruno disse então que já tinha acontecido “m….” da primeira vez, e não queria que o problema se repetisse com Eliza.

O goleiro permaneceu no sítio por duas horas e depois chamou um táxi para levá-lo até o aeroporto, pois queria voltar para o Rio no mesmo dia.

No dia seguinte, o adolescente, Macarrão, Sérgio, Eliza e o filho dela entrararam no carro de Bruno e seguiram rumo a Belo Horizonte.

O adolescente contou que chegaram a um local que se parecia com um sítio. Foram recebidos por um homem alto, negro, chamado Neném.

Vem então a parte mais forte do depoimento: segundo o menor, Neném pegou Eliza, amarrou os braços dela com uma corda e deu uma gravata, sufocando-a. Neném pediu que todos deixassem o local. Sérgio carregava o filho de Eliza.

Logo depois, segundo o jovem, Neném passou carregando um saco e seguiu em direção a um canil, onde havia quatro rotweillers. O adolescente viu o momento em que Neném retirou a mão de Eliza e arremessou para os cães.

O adolescente disse que os ossos de Eliza foram concretados no mesmo terreno em que ela foi morta. Ele inocentou a mulher de Bruno, Dayane Rodrigues, de participação no assassinato de Eliza.

Segundo o menor, Dayane foi ao sítio de Bruno depois do crime – e soube apenas que o bebê de Eliza tinha sido deixado no local.

O adolescente disse ainda que não falou com Bruno sobre o que aconteceu com Eliza, mas acredita que Macarrão tenha contado o desfecho do sequestro.

Fonte G1

Comentários (6)

 

  1. Carlos disse:

    Não sei se esse garoto diz a verdade, mas se for, então diga aí: cadê os ossos? Cachorro não engole osso. Palamordeus. É mentira gente. Esse moleque mentiu.

  2. gpaulosilva disse:

    Tanto o promotor Fantine como a Juiza Marixa, não poderiam: o primeiro oferecer denuncia, e a segunda decretar prisão preventiva, sem que antes o Desembargador julgasse a competencia jurisdicional. Maculam o MP e o poder Judiciario atitudes como as citadas. Urge que o Desembargador fiel cumpridor das Leis corrija esta falha o mais rapidamente possivel, estabelecendo o foro de Vespasiano como o unico competente, tendo em vista que o inquerito da PC, disse que o homicidio ali foi praticado. È lastimavel o que vem ocorrendo!

  3. joao aparecido costa disse:

    o goleiro é um vagabundo isso sim !

  4. eduarda malaquias disse:

    é dificil!, ate mesmo para a investigação dos policiaias,
    para eles, o garoto conta uma historia conta outra ai fica complicado, a mae dele deu entrevista no mais vove ela disse que ele fica tao imprecionado que conta muitas mentiras… procura um psicologo pra ele!!! isso vai resolver,
    que horrivel nunca vir um caso igual a esse, de dar a ossada de humano para caes!!!

  5. amalia inez disse:

    Não consegui ver imagens do canil em que se encontravam os cães.Se não for cimentado, não ha´probalidade de os cães terem enterado alguns ossos? Eles não iriam devorarar tudo em um dia. Se soltarem os cães no mesmo local provavelmente irão atrás de que esconderam.

Deixe seu comentário

Sobre este site

Site que reúne as notícias mais relevantes da mídia nacional e internacional.