Corpos Air France – Primeiro corpo de vítima do voo 447 é recuperado, diz polícia da França

maio 5, 2011 | Acidentes, América do Sul, Aviação, Brasil, Desastres, França, Internacional, Mundo

Corpo ainda estava atado a assento do Airbus da Air France.
Acidente em 2009 matou 228 pessoas no Oceano Atlântico.

O primeiro corpo de uma vítima do acidente do voo 447 da Air France, entre Rio e Paris, foi recuperado nesta quinta-feira (5), segundo a polícia francesa, citada pela France Presse.
O avião caiu no Oceano Atlântico em 2009, com 228 pessoas a bordo.

Em comunicado, a Direção Geral da Gendarmeria Nacional da França afirma que, “depois de uma tentativa fracassada”, os restos mortais de uma das vítimas conseguiram ser trazidos à bordo do barco “Isle de Sein”, durante a madrugada.

Os despojos estavam ainda atados pelo cinto de segurança a um dos assentos do voo, a uma profundidade de 3.900 metros, e pareciam degradados, segundo o comunicado da polícia francesa.
Os trabalhos para tentar recuperar os corpos havia iniciado na véspera, segundo fontes próximas à operação.

“As tentativas de recuperação são feitas em condições particularmente complexas e até agora inéditas”, continua o comunicado. “Persistem fortes incertezas sobre a possibilidade técnica da recuperação dos corpos.”

Oito pessoas da gendarmeria francesa estão a bordo do navio participando dos trabalhos.

A recuperação “demorou muito tempo”, disse um porta-voz da polícia francesa. Segundo ele, os corpos estão bem preservados no fundo do mar por conta da pressão e da temperatura, mas trazê-los para cima para águas mais quentes provoca a decomposição, o que dificulta os trabalhos de resgate.

A polícia francesa afirma que haverá uma tentativa de identificar o corpo pelo exame de DNA, em paralelo com a análise das caixas pretas do Airbus, já recuperadas com a ajuda de submarinos-robôs.
Um das caixas-pretas, com o dispositivo que grava as informações da cabine, foi encontrada na terça-feira pela equipe francesa que trabalha nas buscas, na área próxima ao último local de contato da aeronave com os radares.

A outra caixa, que grava a atividade dos instrumentos de voo, foi achada no domingo passado, e o estado exterior de ambas “é bom”, disse Jean-Paul Troadec, diretor do Escritório de Investigações e Análises (BEA) encarregado das buscas.

Embora o achado do material seja considerado “um grande passo para a compreensão do acidente”, resta saber se será possível resgatar os dados de seu interior, pois há o receio de que o óxido e a pressão tenha danificado os instrumentos de gravação.

A equipe de busca localizou os destroços do Airbus 330 há um mês, depois de quase dois anos de buscas no fundo do mar.

Deixe seu comentário

Sobre este site

Site que reúne as notícias mais relevantes da mídia nacional e internacional.