Crise mundial – Países ricos deixam de atrair pobres

junho 25, 2009 | América do Norte, Asia, Brasil, Comportamento, Economia, EUA, Europa, Internacional, Mundo, Oceania

Ricos deixam de atrair pobres

Durante quase todo o século XX, o mundo assistiu a um fluxo migratório marcado essencialmente pela busca obstinada de cidadãos nascidos em países pobres por oportunidades de trabalho e de mudança de vida que só poderiam ser encontradas em nações desenvolvidas. O século XXI inverteu esse processo. Essa é a constatação de uma reportagem publicada pelo jornal americano The Wall Street Journal. De acordo com o WSJ, a estagnação das economias europeias e dos Estados Unidos, associada à atual crise mundial, fez com o que os países ricos perdessem seu poder de atração. Acompanhe a seguir algumas mudanças na migração mundial.

ESTADOS UNIDOS
A emigração do México para os Estados Unidos caiu 13% no primeiro trimestre de 2009, na comparação com o mesmo período do ano passado. Pela primeira vez em 50 anos, há mais mexicanos saindo do que entrando nos Estados Unidos.

DUBAI
A maior cidade dos Emirados Árabes Unidos, que na última década viveu um inédito ciclo de desenvolvimento, verá sua população declinar em 2009. Entre os migrantes que retornaram estão trabalhadores da construção civil oriundos de Bangladesh, empregadas domésticas das Filipinas e operários fabris da Indonésia e do Vietnã.

JAPÃO
Os empregos minguaram e os prognósticos apontam para um futuro nada promissor. O próprio governo estimula os imigrantes a voltarem para seus países. Algumas medidas anunciadas recentemente afetam até os brasileiros: o país oferece passagem aérea e US$ 2 mil para qualquer trabalhador estrangeiro que deseje voltar para o seu país.

REINO UNIDO
O número de trabalhadores registrados vindos de países recém-admitidos na União Europeia, como Polônia e República Tcheca, caiu 55% no primeiro trimestre de 2009, ante igual período do ano anterior. Estimativas oficiais indicam uma queda de 20% no total de trabalhadores estrangeiros.

ÍNDIA
Segundo um estudo da Universidade de Harvard, 200 mil profissionais especialidos da Índia voltarão para seu país nos próximos cinco anos, ante cerca de 100 mil nos últimos 20 anos. Os trabalhadores retomam de países como Estados Unidos, Austrália e França.

INDONÉSIA
O governo local estima em 60 mil o número de indonésios que devem regressar do exterior em 2009, depois de trabalharem nos Estados Unidos e na Europa. Já o total de pessoas que partiram para o estrangeiro não deve passar de 30 mil.

Fonte: Isto É Dinheiro

Deixe seu comentário

Sobre este site

Site que reúne as notícias mais relevantes da mídia nacional e internacional.