Desastre no Rio de Janeiro – Moradores relatam dramas causados pelas chuvas em Friburgo

janeiro 16, 2011 | Padrão


Família teve 12 casas atingidas e 35 pessoas agora dividem um sobrado.
Servente diz que dormiu na sala e quartos da casa ficaram soterrados.

A servente Angela Maria Marcondes Silva chora ao lembrar como conseguiu sobreviver ao deslizamento de uma barreira que destruiu dois quartos de sua casa em Conselheiro Paulino, um dos bairros mais atingidos pela chuva em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio.

Ela conta que, por intuição, implorou para os dois filhos e o neto de 1 ano e 11 meses dormirem na sala da casa na madrugada de quarta-feira (12), quando começou a sequência de temporais que arrasou a cidade.

“Essa era uma chuva diferente de todas as outras. Era muito barulho, estrondo forte, e o meu filho não queria sair do quarto. Eu disse pra ele que, se não saísse, ia ficar a madrugada toda na janela vigiando. Parece que Deus me avisou que o pior estava por vir. Ainda bem que a nossa sala, onde estava todo mundo, não foi atingida”, contou.

Quarto soterrado

No quarto da filha Fernanda, o computador, a cama e os livros ficaram soterrados em meio aos escombros. “Morei aqui por 11 anos e nunca imaginei que pudesse um dia acontecer na nossa casa. Quando ouvi o primeiro estrondo, sabia que não ia ter jeito, pelo menos a metade da nossa casa ficou intacta”, comentou Fernanda.

Em companhia do marido, Angela planeja recomeçar a vida com o dinheiro depositado em seu fundo de garantia, mas acredita que não vai conseguir comprar uma casa fora de local de risco. “A cidade é cheia de encosta e, às vezes, você acha que está seguro, vem a chuva e leva tudo. Se rico sofreu com esse temporal, imagine pobre, né? Não tem jeito, vou comprar um lote e construir tudo de novo”, disse.

35 parentes se mudaram para sobrado

A chuva também afetou a rotina da família da costureira Arminda Ribeiro dos Santos. As casas dos irmãos foram destruídas e o jeito foi reunir os 35 parentes no sobrado onde funciona sua confecção, em Conselheiro Paulino.

“A minha família é muito grande e tem muitas crianças. Ao todo foram 12 casas de parentes atingidas. Então, trouxe todo mundo pra cá e estamos tentando sobreviver com a ajuda das doações, mas tá complicado voltar a vida normal porque estamos sem luz e telefone”, falou Arminda.

Três mil unidades habitacionais

A prefeitura de Nova Friburgo anunciou neste sábado (15) a desapropriação de um terreno para a construção de 3 mil unidades habitacionais, em parceria com o governo do estado.

Segundo a decisão, publicada pelo prefeito Dermeval Barboza Neto, o terreno desapropriado fica na Fazenda da Laje, próximo a Riograndina. Ainda de acordo com a prefeitura, a previsão é que a construção comece já em fevereiro.

Desde a noite de terça-feira (11), mais de 550 pessoas morreram na Região Serrana com as chuvas que castigaram principalmente as cidades de Nova Friburgo, Teresópolis, Petrópolis, Sumidouro e São José do Vale do Rio Preto.

Deixe seu comentário

Sobre este site

Site que reúne as notícias mais relevantes da mídia nacional e internacional.