DishTV – Chegada da nova operadora de TV por assinatura americana pode baratear TV paga

Março 20, 2013 | Brasil, Desenho, DishTV, Empresas, Entretenimento, EUA, Filme, Mundo, Série, Shows

A operadora americana de TV por satélite DishTV se prepara para operar comercialmente no Brasil.

A Folha apurou que a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) já aguarda o pedido de autorização, após a negociação frustrada de parceria com a Telefônica.

Inicialmente, o controlador da DishTV –o bilionário Charles Ergen— pretendia firmar acordo com uma operadora no país, uma forma de reduzir os investimentos de entrada. Houve conversas sem sucesso com a Oi.

Com a Telefônica, estudou-se uma parceria efetivamente. A operadora espanhola propôs compartilhar cerca de 670 mil assinantes que hoje recebem TV e internet pela tecnologia de micro-ondas.

Ao vencer o leilão de 4G, em junho de 2012, a Telefônica ficou obrigada a devolver justamente as licenças de TV por micro-ondas porque haverá sobreposição, algo proibido pela legislação do setor.

Esses clientes da Telefônica poderiam ser atendidos via satélite pela DishTV. Mas a empresa americana também queria participação na base de clientes da Telefônica de TV e internet por satélite.

Os espanhóis não concordaram e as negociações foram encerradas.

ANTECEDENTES

A chegada da DishTV ao país está atrelada à Hughes, empresa também controlada pelo bilionário Charles Ergen.

Em agosto de 2011, a Hughes venceu o leilão da Anatel que lhe deu o direito de lançar um satélite em espaço brasileiro.

Com um lance de R$ 145 milhões e um ágio de 3.500%, a companhia americana retirou a Sky da disputa.

Nos EUA, a Sky é controlada pela DirecTV, principal concorrente da DishTV.

Meses após a vitória, a Hughes reposicionou um satélite que estava cobrindo o México para o Brasil. Enquanto isso, discutia com a Telefônica um acordo de parceria.
Pelas regras do leilão, o grupo tem cinco anos para estrear comercialmente no país. Ainda há chances de negociação com outras empresas. Mas, ainda segundo apurou a reportagem, na Anatel, é dado como certo o pedido de autorização sem parcerias.

CENÁRIO

Estima-se que a entrada da DishTV possa reduzir o preço dos pacotes em até 30%.

Para a empresa, o negócio é promissor. Um estudo recente da consultoria Digital TV Research mostra que, até 2017, o Brasil responderá pela maior parte do crescimento de assinantes de TV paga no mundo, contribuindo com a expansão do lucro das empresas que atuarem no país.

Em seis anos, serão US$ 3,8 bilhões em lucros, mais que o dobro do que será possível obter nos Estados Unidos.

Consultadas, as empresas não quiseram se manifestar.

disputa-das-tvs-pagas-tecnologia-satelite-cabo-micro-ondas

Deixe seu comentário

Sobre este site

Site que reúne as notícias mais relevantes da mídia nacional e internacional.