Espinhas, problemas de adolescentes e adultos. Cremes e tratamentos, veja o que fazer

outubro 5, 2009 | Alimentação, Comportamento, Medicina, Saúde, Utilidade Pública, Videos

Dizem que espinha no rosto é coisa de adolescente. Mas está errado. O problema também está atingindo os adultos. E quem é que mais sofre com isso são as mulheres, pelo mau uso de cremes para a pele.

“Muita vergonha, eu sentia vontade de ir menos aos lugares. Me irritou muito, a ponto de chorar e deixar de sair”, diz a estudante Miriã Rocha.

“O psicológico abala muito porque você vê um rosto diferente, você vê que você está mudando e você tem que acompanhar as mudanças.”, diz o estudante Kellyn Vickey.

Miriã e Kellyn foram parar no dermatologista por causa da acne. Mas antes de chegar ao médico, cederam a um impulso: o de espremer as espinhas.

“Se o adolescente não procurar um dermatologista e começar a espremer o rosto e utilizar produtos hidratantes que não são próprios para sua pele, a acne vai piorar e pode deixar cicatrizes, cicatrizes que muitas vezes são difíceis de reverter”, afirma a médica Andréia Mateus, da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

O caso das meninas é muito comum. Mais da metade das 1,5 mil pessoas pesquisadas pela Sociedade Brasileira de Dermatologia reclama das espinhas. E o dado mais revelador é o crescente número de mulheres adultas com o problema.

”A acne é a principal causa que leva a mulher ao dermatologista, isso em todas as faixas etárias. Lógico que na adolescência é típico, mas a mulher madura também está apresentando espinhas, pelo uso indiscriminado de hidratantes e filtros solares“, afirma a médica Andréia Mateus, da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

O excesso de creme faz com que a pele produza mais gordura. Isso entope o poro e leva à formação do cravo, que vira a espinha. A área fica inflamada e vermelha. Nos casos mais graves, o paciente sente dor e a inflação pode até provocar febre.

“Às vezes, eu ganhei um creminho eu uso. Eu estou com muita grana eu compro um ótimo, a grana está pequena eu vou ali na farmácia e compro”, diz uma mulher.

Segundo a pesquisa, de cada dez pessoas, oito usam cremes para a pele, a maioria sem orientação. Caso de Olinda, que está em tratamento há quatro anos.

“Depois dos meus 35, 40 anos, aumentou muita coisa. Eu era apelidada até de queijo suíço! Eu usava os cremes que eu usava no corpo, eu passava no rosto também, o que aconteceu foi que aumentou a minha acne, uma coisa imensa. Eu ficava com vergonha com tanta acne que eu tinha no rosto”, afirma a agente administrativa Olinda Gomes Leitão.

“Tem umas dicas básicas para quem já quer começar a tratar o rosto de imediato: a primeira delas é você desengordurar bem o seu rosto todas as noites e não dormir com maquiagem. A segunda é lavar bem o rosto com sabonete neutro ao menos duas vezes ao dia. Mais uma dica é não usar o protetor solar que você comprou para o corpo no rosto”, diz a dermatologista Mariana Pinheiro Machado.

“Creme errado com óleo nunca mais”, diz a produtora cultural Gabriela Miranda.

Fonte Globo

Comentários (1)

 

  1. Ester Ediane disse:

    então qual seria o creme adequado???

Deixe seu comentário

Sobre este site

Site que reúne as notícias mais relevantes da mídia nacional e internacional.