Fórmula 1 – Renault anuncia saídas de Briatore e Symonds antes de julgamento na FIA

setembro 16, 2009 | Acidentes, Automobilismo, Brasil, Carro, Celebridade, Comportamento, Crime, Fórmula 1, Piloto


Em comunicado, equipe francesa diz que não contestará acusações e admite, de forma indireta, a armação do GP de Cingapura de 2008

A Renault anunciou as saídas de Flavio Briatore, chefe da equipe, e de Pat Symonds, diretor de engenharia, poucos dias antes da reunião do Conselho Mundial de Esporte a Motor da Federação Internacional de Automobilismo (FIA). A equipe francesa foi acusada de armar o acidente de Nelsinho Piquet no GP de Cingapura de 2008 e será julgada em 21 de setembro.

De acordo com o comunicado oficial emitido na manhã desta quarta-feira, a Renault não vai contestar as acusações na reunião do Conselho Mundial. Pouco antes de perder a vaga na equipe francesa, Nelsinho Piquet disse à FIA que Briatore e Symonds pediram para ele causar um acidente na corrida, para forçar a entrada do safety car na pista. A batida na volta 14 foi planejada pelos três.

Com as saídas e, principalmente, com o anúncio de que não vai contestar as acusações, a Renault acaba por admitir, ainda que indiretamente, que a batida de Nelsinho Piquet em Cingapura foi armada nos bastidores. No entanto, a equipe não deixa claro, no comunicado, se Briatore e Symonds foram demitidos, optaram por sair ou houve algum tipo de acordo entre as partes.

Confira a íntegra do comunicado da Renault:
“A Renault não vai contestar as acusações recentes feitas pela FIA sobre o GP de Cingapura de 2008. A equipe também quer comunicar que Flavio Briatore, chefe do time, e Pat Symonds, diretor-executivo de engenharia, deixaram a equipe. A equipe não fará mais comentários antes da audiência no Conselho Mundial da FIA em Paris, no dia 21 de setembro.”

Vazamento de informações complicam dirigentes

Alonso, que era candidato à pole antes dos problemas na bomba de combustível no treino classificatório, largou em 15º com uma pequena carga de gasolina no tanque. O espanhol tinha feito seu primeiro pit stop muito cedo, pouco antes do acidente causado por Nelsinho. Ele pulou para a quinta posição e ganhou a corrida mais tarde.

Os investigadores contratados pela FIA interrogaram Briatore, Symonds e os outros membros da equipe no GP da Bélgica. Eles anunciaram em seguida que a equipe enfrentará a reunião do Conselho Mundial no dia 21. Provas, como o depoimento de Nelsinho, detalhes da telemetria e transmissões de rádio, vazaram para a imprensa no fim de semana do GP da Itália. A Renault também anunciou que processaria o piloto e seu pai, o tricampeão Nelson Piquet, por chantagem.

O caso teve outra reviravolta quando se descobriu que a FIA ofereceu imunidade a Symonds se ele contasse todos os detalhes do incidente em Cingapura. Como toda a equipe, além de Briatore e Symonds, foi acusada, o anúncio desta quarta-feira não deve ter infuência na reunião da próxima semana.

Fonte Globo Esporte

Deixe seu comentário

Sobre este site

Site que reúne as notícias mais relevantes da mídia nacional e internacional.