Geisy Arruda estilo periguete – Com ajuda de uma consultora de estilo, loira monta três looks – para trabalho, festa e fim de semana

novembro 10, 2012 | Aluna, América do Sul, Brasil, Celebridade, Comportamento, Foto, Incidentes, Relacionamentos, Sensualidade

Geisy Arruda posa com look de executiva para o EGO (Foto: Alessandra Gerzoschkowitz/EGO)


Três anos após ter sido hostilizada na faculdade por usar um vestidinho rosa curtíssimo no campus e ter que deixar o local escoltada pela polícia, Geisy Arruda parece ter se conscientizado sobre dress code, o traje indicado para cada situação ou evento.

“Eu me dei mal na faculdade porque usei uma roupa que é de ir para a balada para ir para a aula”, avalia ela, que afirma não cometer mais esta gafe. “Eu gosto de ser periguete e nunca deixei de ser. Fui a primeira periguete do Brasil. Só que agora sou uma periguete consciente. Se vou ao teatro, por exemplo, preciso de uma produção maior. Mas se vou para a balada, é periguete total!”, assume.

Será mesmo que a loira dá conta do recado? Resolvemos investir na produção de Geisy e – com ajuda da consultora de imagem e estilo Alba Prizão – montamos três looks diferentes: um para usar no trabalho, outro para uma festa elegante e outro, mais despojado, para o fim de semana.

A ideia foi ficar bem vestida sem gastar muito, por isso as peças escolhidas – que incluem grifes como Carlos Miele e Animale -, foram garimapdas em um outlet. As fotos foram feitas na segunda, dia 5, um dia antes da “recauchutagem” geral à qual Geisy se submeteu, que incluiu lipo, rinoplastia e até uma cirurgia íntima.

Geisy Arruda usa macacão de um ombro só

Periguete elegante

“Até as periguetes podem ser elegantes, sim”, diz Alba, que é especialista em aprimorar a imagem e o estilo dos clientes. “Periguetes usam tudo curto e justo. Mas se for um short curto mas largo, e de alfaiataria, fica clássico e elegante”, ensina ela.

Outra dica é investir no jogo de “revela, mas não mostra”, como o macacão usado por Geisy, que é sensual porque marca o corpo. Para terminar, invista em linhas retas, que “deixam o look mais formal, e por isso, elegante”, afirma a consultora.

‘Periguetes podem ser elegantes’, ensina consultora

Moda periguete

Apesar das regras do dress code para cada situação ser atemporal, Geisy acha que a moda privilegiou os looks curtos e decotados nos últimos anos. “Há três anos não havia periguetes como hoje, virou moda! Antes o preconceito era maior. Se fosse hoje, eu seria só mais uma periguete indo para a aula com o vestido curto. Até na tevê elas começaram a aparecer”, comenta Geisy, citando a Natalie L’ Amour, personagem de Deborah Secco na novela Insensato Coração e Suellen, vivida por Isis Valverde em “Avenida Brasil”.

Fazer “moda periguete” aliás, é o próximo plano de Geisy. Depois de ter lançado uma grife, a loira agora busca uma loja física para vender as roupas, antes à venda através de um site “Vai ter plumas, pantufas… tudo rosa! Vai ser a loja da Barbie”, diverte-se ela.

“Tudo na vida é produção!”

A frase é de Nany People, mas Geisy cita e assina embaixo. “Recauchutada” após sete horas em uma mesa de cirurgia em que fez rinoplastia, lipoaspiração e cirurgia íntima, a loira acha que plástica “é tudo na vida de uma mulher”. “Eu acho incrível. Com um bom profissional, qualquer um fica como a Gisele Bündchen”, brinca ela. Para Geisy, toda mulher precisa ser cuidada por cinco profissionais. “Um maquiador, um cabeleireiro, um cirurgião plástico, um dermatologista e um dentista”, enumera ela, que não esconde a vaidade. “Sou vaidosa ao extremo. Já deixei de sair porque meu cabelo não estava bom”.

Solteirice

Depois das cirurgias, Geisy acha que vai ficar mais confiante para encontrar o principe encantado, mas avisa que tem gênio difícil. “Sou geminiana, tenho oscilações de humor incríveis. Consigo estar nervosa, alegre e depressiva em um dia só. Mas quando eu estou apaixonada eu me entrego e faço loucuras!”, conta ela, que já se mudou para Fortaleza quando arrumou um namorado lá e já se “casou” várias vezes. “Sou prática, se o namoro fica firme, eu já vou morar junto. Acho ridículo fazer um casamento, dar um festão e depois não dar certo”, opina. Se quer mesmo levar o namoro a sério, Geisy tem uma tática: demora para fazer sexo com o pretendente. “Só assim eles valorizam!”, afirma ela, que tem sentido falta de romantismo nas relações: “Cadê as flores, os bilhetinhos, o café da manhã na cama? Quero um homem romântico à moda antiga”.

Agradecimentos/Serviço: Outlet Premium São Paulo. Rodovia Bandeirantes, Km 72. Telefone: (11) 4496-7000.
Stylist: Alba Prizão
Cabelo e maquiagem: Roger Fernandez

Deixe seu comentário

Sobre este site

Site que reúne as notícias mais relevantes da mídia nacional e internacional.