Gripe A – Total de mortes pelo vírus influenza H1N1 neste ano é 5,3% do registrado na pandemia de 2009

julho 11, 2012 | América do Sul, Brasil

O número de 110 pacientes mortos entre aqueles que contraíram o vírus Influenza H1N1 neste ano no Brasil equivale, até o momento, a 5,3% do total de mortes ocorridas em 2009. Naquele ano, foram 2.060 vítimas. Os novos casos da doença estão atualizados pelo Ministério da Saúde com dados até 3 de julho.

No auge da pandemia da influenza A (H1N1)gripe suína – as autoridades epidemiológicas afirmam que o país estava menos protegido. “Há três anos, a situação era absolutamente outra. Não tínhamos a medicação nem a vacina, e os serviços de saúde tinham dificuldade para atender os casos graves”, explicou à Agência Brasilo superintendente de Vigilância em Saúde do Paraná, Sezifredo Paz.

Por outro lado, o número de óbitos ocorridos em 2012 já é bem superior ao registrado em todo o ano passado (27 mortes), e está bem próximo ao patamar de 2010 (113). O fim da pandemia foi decretado em agosto de 2010 pela Organização Mundial da Saúde.

Conforme dados atualizados esta semana, os três estados da Região Sul registram este ano 84 mortes – 47 em Santa Catarina, 23 no Rio Grande do Sul e 14 no Paraná. A região registra mais de 1,3 mil casos confirmados da doença este ano.

Nesta quarta-feira (11), o Ministério da Saúde retirou o medicamento antiviral oseltamivir, conhecido pela marca Tamiflu, da lista de substâncias sujeitas a controle especial. O objetivo da medida é facilitar o acesso ao remédio, usado no tratamento da gripe, que passa a ser comercializado nas farmácias com receita médica simples, e não mais em duas vias. O antiviral também está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS), gratuitamente.

Entre as orientações de prevenção contra a doença estão lavar as mãos várias vezes ao dia, evitar tocar a face com as mãos, proteger a tosse e o espirro com lenço descartável, evitar aglomerações e ambientes fechados. “O foco agora não é a vacina, são as medidas de prevenção e o tratamento imediato”, ressalta Paz, ao ser questionado sobre a falta de vacina na rede privada.

Os médicos de todo o país estão orientados a prescrever o Tamiflu aos pacientes que apresentarem quadro de síndrome gripal, mesmo antes dos resultados de exames ou sinais de agravamento. Para atingir sua eficácia máxima, o antiviral deve ser utilizado nas primeiras 48 horas após o início dos sintomas. A síndrome gripal se caracteriza pelo surgimento simultâneo de febre, tosse ou dor de garganta, somados a dor de cabeça, dores musculares ou nas articulações.

O governo do Rio Grande do Sul informou que o calendário das férias escolares de inverno não será alterado na rede estadual de ensino. Algumas escolas municipais, em especial na região noroeste, optaram por antecipar as férias em uma semana. “Na ausência de um agravamento da situação da incidência da gripe H1N1, as férias nas escolas estaduais não serão antecipadas”, diz trecho de nota divulgada pelo governo gaúcho.

As autoridades estaduais e federais não recomendam mais medidas desse tipo, que chegaram a ser adotadas em 2009. Além do reforço da prevenção e do diagnóstico rápido, a orientação é de que crianças ou adultos gripados permaneçam em repouso por uma semana, para evitar a transmissão da doença.

Deixe seu comentário

Sobre este site

Site que reúne as notícias mais relevantes da mídia nacional e internacional.