Homem agredido na Parada Gay teve morte cerebral

junho 17, 2009 | Brasil, Comportamento, Justiça, Polícia, São Paulo, Saúde, Saúde Pública, TV, Violência

A Santa Casa de São Paulo confirmou no início da noite desta quarta-feira (17) a morte cerebral de Marcelo Campos.

Ele foi espancado após a Parada Gay. Os médicos haviam confirmado a morte encefálica, mas o rapaz foi declarado morto no início da noite.

Segundo a assessoria do hospital, os órgãos de Marcelo não poderão ser doados.

O hospital disse que ele sofreu traumatismo craniano e seu estado de saúde era considerado muito grave.

A Parada Gay ocorreu no último domingo (14), entre a Avenida Paulista e a Praça Roosevelt, no Centro de São Paulo.

De acordo com os organizadores, o evento reuniu 3,1 milhões de pessoas. O total de feridos durante ou após o evento seria de 58, com base nas informações fornecidas pela Secretaria Municipal de Saúde e a Santa Casa.

O hospital recebeu 44 pacientes relacionados à Parada Gay.

Um adolescente de 17 anos chegou ao hospital com sinais de agressão e recebeu alta na manhã de terça-feira.

Um paciente de 27 anos que sofreu um mal súbito deixou a Santa Casa na noite de segunda-feira (15).

Também foram levadas para o hospital outras nove pessoas feridas na explosão de uma bomba caseira na esquina da Rua Vitória com a Avenida Vieira de Carvalho, no Largo do Arouche, no Centro de São Paulo.

Explosão

Em outro ponto da capital paulista, 22 pessoas ficaram feridas após uma explosão.

Ao menos 22 pessoas teriam ficado feridas e precisaram receber atendimento médico depois da explosão.

Segundo a assessoria da secretaria, as equipes do Samu socorreram 13 feridos após a explosão da bomba no Largo do Arouche.

Destas, dez foram levadas para o PS da Barra Funda, na Zona Oeste de São Paulo, duas para o PS do Tatuapé, na Zona Leste da capital, e apenas uma para o Hospital do Servidor Municipal.

Deu no G1

Deixe seu comentário

Sobre este site

Site que reúne as notícias mais relevantes da mídia nacional e internacional.