Índices de inflação – Conheça as principais diferenças dos indicadores

dezembro 10, 2009 | Brasil, Economia, Estudos, Impostos, Utilidade Pública

indices-de-inflacao-indicadoresIPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo

Indicador calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) desde 1979. O IPCA aponta mensalmente a variação do custo de vida média das familias com renda mensal entre um e 40 salários mínimos, residentes nas 11 principais regiões metropolitanas do país.

O período de coleta de preços vai, em geral, no dia 1º ao dia 30 de cada mês. O IBGE também divulga o IPCA-15, com a mesma forma de cálculo, porém com perído de coleta do dia 15 do mês anterior a 15 do mês de referência.

O IPCA é a “inflação oficial”, usada como referência pelo Banco Central para estabelecer metas de variações de preço no país.

INPC – Índice Nacional de Preços ao Consumidor

Também calculado pelo IBGE, difere do IPCA pela abrangência.

O INPC calcula a variação do custo de vida médio das famílias com rendimentos mensais entre um e seis salários mínimos, cujo chefe é assalariado em sua ocupação principal e residente nas áreas urbanas das 11 regiões metropolitanas pesquisadas (Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, Brasília e Goiânia)

IGP-DI – Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna

Registra alterações de preços desde matérias-primas agrícolas e industriais até bens e serviços finais (consumidos pelas famílias) do dia 1º ao dia 30 do mês de referência.

Calculado pela Fundação Getulio Vargas(FGV), o IGP-DI é o indexador das dívidas dos estados com a União. Também faz parte de uma cesta de índices usados para correção das tarifas de telefonia.

O IGP-DI é composto por três outros indicadores: índice de Preços por Atacado (IPA), Índice de Preços ao Consumidor(IPC) e Índice Nacional do Custo da Construção(INCC), com pesos de 60%, 30% e 10%, respectivamente.

IGP-M – Índice Geral de Preços – Mercado

Também calculado pela Fundação Getúlio Vargas(FGV), o indicador segue a mesma metodologia do IGP-DI.

A diferença fica por conta do período de cálculo: o IGP-M é pesquisado entre os dias 21 do mês anterior e o dia 20 do mês de referência.

O IGP-M é indicador usado para a correção da maioria dos contratos de aluguel, tarifas de serviços públicos (como energia elétrica), TV por assinatura, outros preços monitorados e contratos do mercado financeiro.

IPC-S – Índice de Preços ao Consumidor – Semanal

Calculado semanalmente pela FGV, o IPC-S tem preços levantados nas sete principais capitais do país (Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo) para famílias com renda mensal até 33 salários mínimos.

No cálculo do índice, cada capital tem peso proporcional à sua população.

Compõem o IPC-S 460 produtos, em sete categorias: alimentação, habitação, vestuário, saúde, educação, transporte e despesas diversas.

O IPC-S é calculado com base nos preços coletados no 30 dias até osdias 7, 15, 23 e 30 decada mês, comparados aos coletados no mesmo período do mês anterior.

IPC-Fipe – Índice de Preços ao Consumidor do Município de São Paulo

Um dos mais antigos indicadores de inflação do país, é calculado desde janeiro de 1939. Está sob responsabilidade da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas(Fipe).

O IPC-Fipe inica semanalmente a evolução do custo de vida das famílias paulistanas com renda entre um e 20 salários mínimos.

O sistema de cálculo abrange um período total de oito semanas, a partir da divisão dos preços médios das quatro semanas de referência pelo preços médios das quatro semanas anterior(base).

IPV – Índice de Preços no Varejo

Apurado mensalmente pela Federação do Comércio de São Paulo (Fecomercio). Os dados são coletados junto a cerca de 2.000 estabelecimentos comerciais no município de São Paulo, contemplando 21 segmentos varejistas e 450 subitens pesquisados. A perquisa conta com uma amostra mensal de aproximadamente 105 mil tomadas de preços.

O indicador tem como objetivo acompanhar as variações relativas de preços praticados no comércio varejista em seus vários ramos de atividade.

Os resultados permitem o acompanhamento da variação de preços ao longo do tempo em diferentes setores do varejo, além de permitir a análise da evolução dos custos ao consumidor de acordo com o tipo específico de consumo.

Fonte G1

Deixe seu comentário

Sobre este site

Site que reúne as notícias mais relevantes da mídia nacional e internacional.