Marcas de TV no mundo – Veja quem fabrica e quem vende TVS

dezembro 17, 2012 | Asia, China, Empresas, Entretenimento, Estudos, EUA, Japão, Lg, Samsung, TV

Quer saber quais são as que vendem mais? Veja o gráfico acima

Quer saber quais são as que vendem mais? Veja o gráfico acima

A todo momento são divulgadas estatísticas sobre o mercado mundial de TVs. Nos EUA, onde pesquisa é quase tão comum quanto hambúrguer, não passa uma semana sem que se saiba de uma novidade no setor. Em meio a tantos números, muitas vezes o usuário fica confuso – e também nós, profissionais da área. Quem são os maiores fabricantes? Quais marcas vendem mais no Brasil? E na Europa? E no Japão? Quais os tamanhos preferidos? E assim por diante…

Pode parecer secundário, mas esses dados servem de referência para os fabricantes ao planejar seus próximos passos. A mais recente pesquisa da NPD DisplaySearch, hoje principal empresa do ramo, ilustra bem o que estou dizendo. Foram levantadas as vendas deste ano, e projetadas as do ano que vem, para cada tamanho de TV: 26?, 29?, 32?, 38?, 40?, 42?, 46?, 47?, 50?, 52?, 58?, 60? e maiores de 60? (logo deverá haver segmentações para 65?, 70?, 72? etc). Claro, os modelos acima de 58? representam apenas 2% do mercado atual; e os menores de 32? são hoje 42% de todas as vendas mundiais. Mas as duas curvas são opostas: a primeira tende a subir, enquanto a dos TVs “pequenos” está em queda.

Mais interessante, porém, é examinar a lista de fabricantes levantada no estudo, cujo nome, para quem quiser conferir, é Quarterly Large-Area TFT Panel Shipment Report. Quantas marcas você acha que existem hoje no mundo?

Veja a lista abaixo:

Taiwan

– AOC, AUO, BenQ, Chimei, Era, Great Sun, Proton, Sinai, Tatung, Ultmost, Viewsonic e Vizio.

China

– Changhong, Funai, Haier, Hisense, Konka, Lenovo, Panda, Skyworth, TCL, TPV e Xoceco.

Japão

– JVC, Mitsubishi, NEC, Panasonic, Sanyo, Sharp, Sony e Toshiba.

Alemanha

– Blaupunkt, Grundig, Loewe e Telefunken.

Coreia

– LG e Samsung.

EUA

– Insignia e Westinghouse.

Holanda

– Philips.

França

– Thomson.

Itália

– SIM2.

Turquia

– Vestel.

Não sei se a lista acima é completa (pequenas fábricas surgem a toda hora, principalmente no sudeste da Ásia). E, claro, faltam as brasileiras, a maioria das quais – praticamente todas – são apenas montadoras de peças importadas. Também é impossível saber com exatidão quais empresas de fato produzem e quais simplesmente colocam suas marcas sobre aparelhos fabricados por outras. O mesmo acontece hoje na Europa, onde os asiáticos vêm se estabelecendo de modo agressivo nos últimos anos, especialmente nos países da antiga Cortina de Ferro, para fornecer às marcas já conhecidas no continente. A Philips, por exemplo, há muito deixou de ser fabricante (no ano passado associou-se à chinesa TPV, formando a TP Vision) – mas continua sendo a marca de maior prestígio entre os europeus. Já no Japão, que vive a maior crise de sua história pós-guerra, a Mitsubishi continua sendo forte, mas grande parte dos consumidores locais nem deve saber que a empresa só produz hoje do outro lado do Pacífico, na Califórnia.

Enfim, eis aí um resumo do mercado mundial. Que muda constantemente e pode estar bem diferente daqui a alguns meses. A conferir.

Deixe seu comentário

Sobre este site

Site que reúne as notícias mais relevantes da mídia nacional e internacional.