Roger Abdelmassih – Justiça decreta prisão de médico suspeito de abuso sexual em São Paulo

agosto 17, 2009 | Abuso Sexual, Bizarro, Brasil, Comportamento, Foto, Justiça, Ministério Público, Polícia, São Paulo, Saúde, Violência

Fachada-da-clinica-de-Roger-Abdelmassih-na-Zona-Sul-de-Sao-Paulo-Foto

Roger Abdelmassih foi indiciado em junho pela Polícia Civil. Ele é suspeito de estupro e atentado violento ao pudor contra pacientes.

O juiz Bruno Paes Stranforini, da 16ª Vara Criminal da capital paulista, decretou nesta segunda (17) a prisão preventiva do médico Roger Abdelmassih, especialista em reprodução assistida.

De acordo com o TJ, a denúncia oferecida pelo Ministério Público do Estado de São Paulo foi recebida pelo juiz, que instaurou processo criminal para análise das acusações contra Roger Abdelmassih.

O médico foi indiciado em junho pela Polícia Civil, sob suspeita de estupro e atentado violento ao pudor contra suas pacientes. A prisão seria cumprida pela Polícia Civil de São Paulo. Até as 16h30, os advogados do médico não foram localizados pelo G1.

Processos

O Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) abriu 51 processos ético-profissionais contra profissional. De acordo com a assessoria de imprensa do Cremesp, a abertura dos processos foi decidida na sexta-feira (7), em reunião plenária do conselho.

Os processos, todos individuais, estão relacionados a cada uma das vítimas que apresentaram denúncia ao Cremesp. Até terça-feira (11), o conselho informou que não tinha informações sobre se o médico foi notificado de cada um dos processos.

Eles foram originados de sindicâncias abertas conforme as pacientes que relataram ter sofrido abusos procuraram o conselho. As vítimas foram encaminhadas pelo Ministério Público durante as investigações do caso.

Na terça-feira, o advogado José Luis Oliveira Lima, que defende Abdelmassih, informou que a transformação das sindicâncias em processos é um movimento normal e que ele e seu cliente estão tranquilos em relação ao andamento dos processos.

Histórico

As investigações começaram a ser feitas no início do ano passado, quando ex-pacientes procuraram o Gaeco, um grupo especial do Ministério Público. A maior parte das pacientes tem idades entre 30 e 45 anos e são de vários estados do país. O relato mais antigo é de 1994 e há outros de 2005, 2006 e 2007. Algumas chegaram a procurar a polícia na época, mas a maioria só se manifestou após ver os relatos na imprensa.

De acordo com a Promotoria, os relatos das pacientes são muito parecidos quanto à forma de abordagem no consultório. Os supostos ataques ocorreriam quando as pacientes estavam voltando da sedação ou até mesmo sem estarem sedadas e em momentos quando não havia outra pessoa na sala. Os promotores tentaram denunciar o médico no ano passado, mas a Justiça não aceitou a denúncia justificando que os promotores não tinham poder para investigar. O caso foi encaminhado para a polícia, naquela ocasião.

Fonte G1

Comentários (2)

 

  1. […] médico Roger Abdelmassih, acusado de estuprar 56 pessoas, a maioria ex-pacientes, foi transferido por volta das 9h desta terça-feira (25) do 40º Distrito […]

  2. […] (17) o médico Roger Abdelmassih, um dos mais conhecidos especialistas em fertilização do Brasil. O médico é acusado de estuprar mais de 50 mulheres. Ele nega as […]

Deixe seu comentário

Sobre este site

Site que reúne as notícias mais relevantes da mídia nacional e internacional.