Veja dicas para se recuperar da ressaca do carnaval

fevereiro 17, 2010 | Alimentação, Biologia, Brasil, Carnaval, Comportamento, Medicina, Saúde, Utilidade Pública


Quarta-feira de cinzas é dia oficial da ressaca. Saiba o que realmente funciona para espantar os sintomas.

Tem quem negue até o fim.

“Eu nunca fiquei de porre”, afirmou uma moça.

Mas, nesse último dia de carnaval, com bares cheios até tarde não tinha como escapar da receitinha do amigo.

“Diz que água de aloe vera é bom, mas sei se é bom”, disse um rapaz.

“Bastante gelo e energético”, recomendou uma jovem.

“Tem que tomar um cafezinho bem reforçado”, ressaltou um homem.

Outras fórmulas, como banho frio, uma colher de azeite antes. Nada disso adianta.

“Só sambando”, sugeriu ainda uma foliona.

Não, infelizmente, fazer exercício também não adianta.

Para quem exagerou, as perspectivas do dia seguinte não são nada animadoras, nem a conclusão dos médicos: não existe remédio para prevenir ou curar a ressaca. O corpo precisa de algumas horas para se recompor. É preciso respeitar esse tempo e ter paciência.

A sensação de ressaca acontece porque o fígado demora a processar todo o álcool ingerido. Ele fica na corrente sanguínea e circula pelo corpo. O álcool ataca o sistema digestivo e causa aquele enjoo. Quando chega ao rim, inibe um hormônio e, por isso, vamos mais vezes ao banheiro. Quando chega ao cérebro, dá tontura e a fatídica dor de cabeça.

“Não consegue ver a luz do dia”, explicou um rapaz.

A boa notícia é que os sintomas podem ficar mais suaves. O que funciona? Beber muito líquido: durante e depois.

“Qualquer líquido que não alcoólico: vitaminas, sucos, refrigerantes, água com gás ou sem gás. Pode tomar bebida alcoólica? Não pode“, explicou Arthur Guerra, presidente do Centro de Informações sobre Saúde e Álcool da USP.

“Amanhã a gente toma mais uma e fica tudo bem”, disse um folião.

Essa desculpa não vale. Beber mais só atrapalha.

Mas tem outra: encher o prato.

“Comer alguns alimentos porque um dos componentes importantes do mal-estar o que provoca é a hipoglicemia”, ressaltou o clínico da Unifesp Paulo Olzon.

Dica do médico e do garçom.

“Come uma picanha ou pede uma pizza. (É preciso) sempre dar uma forrada no estômago, comer alguma coisa, se não, não aguenta”, recomendou o garçom Diego dos Santos.

E precisa aguentar.

“Quarta-feira tem que trabalhar”, observou uma jovem.

Fonte G1

Deixe seu comentário

Sobre este site

Site que reúne as notícias mais relevantes da mídia nacional e internacional.