Google, Facebook, Amazon e Microsoft – Por que os monopólios da indústria de tecnologia podem ser uma “maldição” para a sociedade?

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019 | Padrão | Sem Comentários

Por Paul Solman

No início do século 20, a Standard Oil foi quebrada por causa de seu vasto poder. Hoje, muitos pensam que o Facebook, o Google ou a Amazon apresentam ameaças semelhantes, mas continuam sem contestação. Em “The Curse of Bigness”, o professor de direito Tim Wu argumenta que os EUA abandonaram a fiscalização antitruste e nos deixaram com uma economia dominada por monopolistas de fato. Paul Solman, correspondente em economia.

Leia a transcrição completa
Judy Woodruff:

Mas primeiro: esses dois últimos anos foram uma espécie de ponto de virada para as atitudes do público sobre alguns gigantes da tecnologia e das mídias sociais. Isso levou alguns a fazer perguntas mais amplas sobre monopólios, poder e concorrência.

Em sua audiência de confirmação nesta semana, William Barr, procurador-geral, disse aos senadores – “Muitas pessoas imaginam como monstros tão enormes que agora existem no Vale do Silício tomaram forma sob o nariz dos agentes antimonopólio”.

Isso é parte do foco do relatório desta noite de nosso correspondente econômico, Paul Solman.

É para o nosso recurso regular Making Sense.

Paul Solman:

Você quer fazer o que para o Facebook?

Tim Wu:

Quebre-os.

Paul Solman:

Divida a empresa, e assim o monopólio do Facebook, o professor de direito Tim Wu estava dizendo, em um trailer que filmamos para a história de hoje à noite.

Tim Wu:

Eu acho que, se você olhar atentamente para o Facebook, é de certa forma o garoto-propaganda da maldição da grandeza em nosso tempo.

Paul Solman:

“The Curse of Bigness” é o novo livro de Wu. A maldição é que a América abandonou a fiscalização antitruste e nos deixou com uma economia dominada por monopolistas de fato como Facebook, Google e Amazon.

E as coisas costumavam ser diferentes. Em 1911, o Standard Oil Trust de John D. Rockefeller foi quebrado por causa de seu vasto poder. Mais de um século depois, muitos acham que a tolerância do Facebook à desinformação e à invasão de privacidade é similarmente sinistra.

Mas o Facebook continua incontestado.

Tim Wu:

O governo dos EUA permitiu que eles comprassem seus dois principais concorrentes, Instagram e WhatsApp. Portanto, não há concorrência real nas redes sociais nos últimos seis anos. E então eu acho que eles se sentiram de certa forma acima da lei, acima da competição.

Paul Solman:

Mas e o Google?

Tim Wu:

Sim. Então, você sabe, o Google se mostrou disposto a destruir todos os seus concorrentes nos últimos 10 anos ou mais.

Narrador:

Waze, o aplicativo de navegação em tempo real número um.

Tim Wu:

A Waze era uma empresa israelense promissora que poderia ter sido uma plataforma para outros concorrentes. E eles acabaram de comprá-los. Você sabe, mapas on-line, isso é importante para o comércio. É onde as pessoas geralmente começam.

O Google extinguiu muitos setores que possivelmente poderiam competir com ele verticalmente, dando a sua própria preferência de produtos quando você pesquisa.

Paul Solman:

E a Amazon?

Tim Wu:

O que eu estou preocupado com a Amazon é o fato de que eles se tornaram o único lugar real on-line onde você pode vender coisas.

 

Paul Solman:

Mas é incrível o que a Amazon faz, certo?

Tim Wu:

Há boa Amazon. Há a Amazon ruim.

A boa Amazon, na minha opinião, é a que facilitou a obtenção de muitos produtos com relativa facilidade. Mas talvez você invente uma ratoeira melhor. Eles fazem a versão da Amazon e, em seguida, eles possuem esse mercado.

Paul Solman:

Mas eles são super convenientes, certo?

Tim Wu:

Em nossos tempos, o caminho para um destino perigoso é pavimentado com conveniência e nos aproxima da estrutura que tivemos na Era Dourada, onde você tinha um grande monopólio por indústria.

Paul Solman:

Ou indústrias dominadas por poucas empresas, não monopólios, mas oligopólios, que ainda controlam preços e serviços.

Tim Wu:

As pessoas podem gostar da Amazon e do Google, mas perguntar às pessoas como elas se sentem em relação às companhias aéreas, perguntar às pessoas como elas se sentem em relação à empresa de TV a cabo e perguntar às pessoas como elas se sentem em relação às contas farmacêuticas.

Estas são áreas onde a concorrência encolheu. Ficamos com apenas algumas escolhas.

Paul Solman:

O argumento clássico contra o monopólio que aprendi foi que o monopolista poderá cobrar preços mais altos porque ela ou ele é o único jogo na cidade.

Tim Wu:

Sim, esse é o argumento clássico, mas acho que é um argumento muito pequeno. E acontece que o dano causado pelos monopólios é, francamente, muito maior que os preços mais altos.

Paul Solman:

Primeiro, diz Wu, a indústria tende a estagnar.

Tim Wu:

Um monopolista não tem necessidade real de inovar, nenhuma necessidade real de melhorar as coisas. Você sabe, como a AT & T, na década de 1960 ou 1970, a ideia de melhoria era a de três vias.

ATRIZ:

Quer mais alguém na linha? Isso é fácil também. Vire o botão de mudança, disque um número de código e o número desejado e pronto.

Tim Wu:

Eles não acreditavam em atendedores de chamadas para pessoas comuns. Era contra o aparelho de fax, o modem, a Internet, todo esse tipo de coisa. Esqueça.

Paul Solman:

Então eu me lembro de filmes sobre a General Motors e como eles impediram a entrada de carros elétricos e como eles destruíram bondes nas cidades. Isso foi tudo verdade?

Tim Wu:

Isso era tudo verdade, e é apenas uma longa linha de discussão de onde – uma vez que o monopólio de uma indústria de tecnologia está lá, eles tendem a querer suprimir o que vem a seguir ou controlá-lo ou garantir que isso não os prejudique.

Paul Solman:

Estou pensando no Silicon Alley aqui em Nova York ou no silício em todo o país em várias cidades.

E eu teria pensado que a última coisa com que precisamos nos preocupar é pouca inovação em tecnologia na América.

Tim Wu:

Você sabe, você pensaria isso. Mas a Amazon e o Google são os novos rostos da inovação de Nova York. Se você conversar com capitalistas de risco no Vale do Silício, eles dirão, bem, se você for a qualquer lugar perto do Facebook ou de qualquer lugar perto do Google, você está acabado. Essa é a zona de matança.

Paul Solman:

Vinte anos atrás, como informamos naquela época, a zona de morte estava ao redor da Microsoft. O advogado antitruste do Vale do Silício, Gary Reback, representou quase todos os principais rivais da Microsoft.

Gary Reback:

Eles podem pegar qualquer produto que quiserem, agrupá-lo no sistema operacional e colocar a concorrência fora do negócio.

Paul Solman:

Foi o que a Microsoft fez com seu navegador de Internet.

Christine Varney:

Ao clicar no ícone da Internet, você obterá o que a Microsoft considera a melhor maneira de acessar a Internet, que é o Internet Explorer, produzido pela Microsoft.

Paul Solman:

Ao incluir o Explorer no sistema operacional Windows gratuitamente, a Microsoft, de acordo com a Netscape, competia de forma injusta com o navegador da Netscape, chamado Navigator.

Tim Wu:

A Microsoft era o poder da conveniência, versão dos anos 90. E acho que há esse momento corajoso em que o governo disse que não o compramos. Achamos que você só quer monopolizar esse setor. Achamos que você quer controlar o futuro da Internet controlando o navegador.

E assim o controle da Microsoft foi quebrado. Então você teve todas essas outras empresas surgindo. Foi quando o Google, a Amazon e o Facebook começaram. Então eu acho que é um ciclo. Eu acho que você constantemente precisa manter seus olhos nos marmanjos e quebrar sua capacidade de controlar o futuro.

Mark Zuckerberg:

Eu sei que, quando abordarmos esses desafios, olharemos para trás e veremos as pessoas se conectando e dando voz a mais pessoas como uma força positiva no mundo.

Paul Solman:

Outra maldição de grandeza, você não vai se surpreender ao ouvir, influência política descomunal.

Tim Wu:

Quanto mais concentrada for uma indústria e mais extremo o monopólio, mais facilmente é capaz de influenciar o governo a conseguir o que quer.

Paul Solman:

Então, qual é o exemplo?

Tim Wu:

2003, você sabe, debatendo uma nova legislação sobre medicamentos controlados. A indústria farmacêutica decidiu que a melhor coisa que poderia fazer era evitar que o Medicare, que é o maior comprador de drogas, negociasse preços mais baixos.

O esforço de lobby foi de mais de US $ 100 milhões. Mas o investimento foi de US $ 10 bilhões a US $ 15 bilhões por ano.

Paul Solman:

Agora imagine a influência de um Facebook, uma Amazon, um Google. Mas mesmo os preços mais altos, a estagnação e a influência política, diz Tim Wu, não esgotam a lista de desvantagens de grandeza. Há também desigualdade econômica.

Tim Wu:

Um número crescente de economistas reconheceu que, quando a maior parte da indústria está concentrada em três ou quatro empresas, a tendência é para a estagnação salarial, para lucros maiores para acionistas e executivos e para certos profissionais, mas o restante da população ganha menos.

Paul Solman:

Considere os cuidados de saúde, diz Wu, o setor que mais cresce na economia.

Tim Wu:

É muito difícil negociar com um hospital monopolista por um salário mais alto se você é uma enfermeira. Qual é a sua alavancagem, especialmente se há apenas um hospital na cidade porque eles compraram todos os outros hospitais?

Paul Solman:

Finalmente, Tim Wu cita mais um perigo, talvez o mais sinistro de todos.

Você escreveu sobre os perigos da conexão entre monopólio e autoritarismo.

Tim Wu:

Há uma história e um histórico de uma economia dominada pelo monopólio, lançando-se em uma forma autoritária de governo. E não acho loucura começar a se preocupar com a possível ascensão do fascismo em nossos tempos.

Paul Solman:

Mas você não está dizendo que o Facebook, a Amazon e o Google estão em conluio com o governo na maneira como as empresas estavam com Hitler na Alemanha nos anos 30?

Tim Wu:

Não, eu não estou dizendo nada parecido. Acho que precisamos ter muito cuidado em fazer comparações superficiais.

Mas acho que precisamos estar cientes dos perigos de uma união de poder público e privado. Imagine o Facebook cooperando com um regime autoritário. Eles sabem tudo sobre nós. Eles sabem o que fazemos. Eles sabem como nos influenciar. Se você imaginar essas duas unidades trabalhando juntas, acho que é uma perspectiva muito assustadora.

Paul Solman:

Para o “PBS NewsHour”, este é o correspondente de economia Paul Solman, de Nova York.

Fonte: pbs.org

B2W - Smart Bidding: Como uma das maiores empresas de e-commerce no Brasil aumentou suas vendas com automação

B2W – Smart Bidding: Como uma das maiores empresas de e-commerce no Brasil aumentou suas vendas com automação

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019 | B2W, Brasil, Empresas | Sem Comentários

Dona de sites como Americanas.com e Submarino.com, B2W viu as vendas crescerem mais de 90% usando Smart Bidding, além de ganhar eficiência nas operações de marketplace. Em 2017, as vendas em marketplace no Brasil cresceram quase 22%, contra 7,5% do e-commerce em geral1. Quem gerencia esse tipo d [...]
Painel Situação Cadastral - Consultas cadastrais para você ou sua empresa - Consultar dívidas ou scores de CPF / CNPJ

Painel Situação Cadastral – Consultas cadastrais para você ou sua empresa – Consultar dívidas ou scores de CPF / CNPJ

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019 | Brasil, Cartão de Créditos, CPF, Documentos, Protestos, Tecnologia, Utilidade Pública | Sem Comentários

Consultas cadastrais para você ou sua empresa! Acesse agora o mais completo painel de consultas aos órgãos de proteção ao crédito do Brasil. Consultas online 24h por dia, pague através do PagSeguro por cartão, boleto ou transferência. Consultas Online Retorno das consultas em poucos segundo [...]
Isaac Asimov - As previsões para 2019

Isaac Asimov – As previsões para 2019

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019 | Celebridade, Comportamento, Internacional, Medicina, Mundo, Tecnologia | Sem Comentários

HÁ 36 ANOS, ISAAC ASIMOV ESCREVIA SOBRE COMO SERIA O MUNDO EM 2019 Em 1983, Isaac Asimov (1920–1992), responsável por clássicos como Eu, Robô, a trilogia Fundação e As Cavernas de Aço, fez previsões de como um bocado de coisas seriam em 2019. As ideias foram publicadas em um ensaio no jorn [...]
Adidas reforça atenção do esporte a mulheres

Adidas reforça atenção do esporte a mulheres

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018 | Comportamento, Empresas, Entretenimento, EUA, Jogo, Nike, Olimpíadas, Visa | Sem Comentários

Neste ano, marcas como Nike, Under Armour e Visa tiveram mesma iniciativa A Adidas lançou um manifesto em que procura dar ainda mais força à mulher dentro do esporte. O vídeo “She Breaks Barriers” (“Ela quebra barreiras”, em tradução livre) foi veiculado durante a transmissão do Sunda [...]
Ovo: do laranja escuro ao amarelo claro, a cor da gema transmite muitas informações sobre a vida da galinha.

Ovo: do laranja escuro ao amarelo claro, a cor da gema transmite muitas informações sobre a vida da galinha.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018 | Alimentação | Sem Comentários

Gemas têm enorme variação de cor — do amarelo sutil ao laranja escuro, quase vermelho —, e nossa preferência de cores muitas vezes está relacionada ao nosso país de origem. Mas o que a cor da gema nos diz sobre a qualidade e o valor nutricional do ovo? Segundo as pesquisas, é complicado. [...]
Fusca - O anúncio que mudou a indústria da publicidade para sempre

Fusca – O anúncio que mudou a indústria da publicidade para sempre

quinta-feira, 15 de novembro de 2018 | Carro | Sem Comentários

Há anúncios que com o passar do tempo se convertem em icônicos. É o caso desta campanha da década de 50 que revolucionou a profissão e criou um novo conceito No final da década dos cinquenta, a indústria publicitária mundial mudou radicalmente por conta da apresentação de uma campanha con [...]
É como usar drogas : Por que as pessoas acreditam e compartilham fake news?

É como usar drogas : Por que as pessoas acreditam e compartilham fake news?

sexta-feira, 26 de outubro de 2018 | Aplicativos, Blog, Brasil, Comportamento, Crime, Documentos, Facebook, Foto, Mundo, MySpace, Pinterest, Política, Redes Sociais, Twitter, YouTube | Sem Comentários

Desde as eleições que elegeram o presidente americano Donald Trump em 2016, a expressão fake news se espalhou mundialmente. Com a popularização dos computadores e smartphones, boa parte da população brasileira tem acesso a redes sociais, como Facebook e WhatsApp, diariamente e se tornou alvo [...]
Cientistas desenvolvem camisinha autolubrificante

Cientistas desenvolvem camisinha autolubrificante

quarta-feira, 17 de outubro de 2018 | EUA, Mundo, Relacionamentos, Sensualidade, Tecnologia, Utilidade Pública | Sem Comentários

Os preservativos são muito importantes na hora de evitar uma gravidez indesejada e, principalmente, são a melhor forma de prevenção contra transmissão de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), como a aids, sífilis, HPV e gonorreia. No entanto, muitas pessoas preferem não usá-la durante [...]
Abuso sexual, físico ou emocional na infância podem deixar marcas genéticas por toda a vida

Abuso sexual, físico ou emocional na infância podem deixar marcas genéticas por toda a vida

quarta-feira, 3 de outubro de 2018 | Abuso Sexual, Comportamento, Estupro, Incidentes, Medicina, Mundo, Pedofilia, Saúde, Violência | Sem Comentários

Cientistas notaram diferenças no material genético de vítimas. Há possibilidade das alterações serem transmitidas aos descendentes Pessoas que sofrem abuso sexual, físico ou emocional durante a infância apresentam alterações genéticas ao longo da vida que podem ser transmitidas para suas [...]
Efeito manada - Como esse comportamento permite manipulação da opinião pública

Efeito manada – Como esse comportamento permite manipulação da opinião pública

segunda-feira, 1 de outubro de 2018 | América do Sul, Brasil, Comportamento, Mundo | Sem Comentários

A estratégia que vem sendo usada por perfis falsos no Brasil e no mundo para influenciar a opinião pública nas redes sociais se aproveita de uma característica psicológica conhecida como “comportamento de manada”. O conceito faz referência ao comportamento de animais que se juntam para se [...]
Gustave Courbet - Pintura

Gustave Courbet – Pintura “L´origine du monde” foi da bailarina da Ópera de Paris, Constance Quéniaux

quarta-feira, 26 de setembro de 2018 | Arte, Europa, Foto, Internacional, Mundo, Sensualidade | Sem Comentários

Bailarina da Ópera de Paris, Constance Quéniaux, é a moça retratada em ‘L’origine du monde‘. Quem foi a modelo de “A origem do mundo“, a famosa e provocativa pintura do francês Gustave Courbet? Agora, 152 anos depois de sua criação, o mistério foi resolvido. Ela se chamava Constanc [...]
11 de setembro: Ataques as torres do World Trade Center - Uma nuvem cinzenta de escombros rolou violentamente em nossa direção...

11 de setembro: Ataques as torres do World Trade Center – Uma nuvem cinzenta de escombros rolou violentamente em nossa direção…

terça-feira, 11 de setembro de 2018 | Acidente Aéreo, Acidentes, América do Norte, Ataque aéreo, Aviação, Comportamento, Crime, Desastres, EUA, Foto, Incidentes, Internacional, Mundo, Nova York, Terrorismo, Violência | Sem Comentários

Fumaça espessa sobe o horizonte de Nova York depois que as torres do World Trade Center foram derrubadas por terroristas em 11 de setembro de 2001. Dezenove homens sequestrara quatro aviões de passageiros naquele dia em um ataque orquestrado pelo líder da Al Qaeda, Osama bin Laden. Dois dois avi [...]
Nutrição: A farsa dos superalimentos

Nutrição: A farsa dos superalimentos

sexta-feira, 7 de setembro de 2018 | Comportamento, Empresas, Medicina, Mundo, Saúde | Sem Comentários

Especialistas desmentem que produtos exóticos da moda, como as sementes de chia ou as bagas de goji, tenham propriedades extraordinárias   Quinoa, bagas de goji, açaí, sementes de chia, chá de maçã, óleo de coco, espirulina, couve ou espelta: cada vez mais produtos de nome estranho e proced [...]
Viveremos 100 anos, mas como?

Viveremos 100 anos, mas como?

terça-feira, 14 de agosto de 2018 | Comportamento, Estudos | Sem Comentários

A expectativa de uma vida cada vez mais longa transforma a velhice. O mundo acadêmico estuda como empregaremos esses anos – e se podemos nos permitir ser mais longevos Dois séculos atrás, passar dos 40 anos era algo incomum. Os que conseguiam eram considerados quase seres abençoados pelos deus [...]

Página 1 de 15312345...102030...Última »

Sobre este site

Site que reúne as notícias mais relevantes da mídia nacional e internacional.