Westvleteren 12: A melhor cerveja do mudo agora pode ser comprada online

junho 25, 2019 | Padrão

Para limitar compras da famosa Westvleteren 12 e afastar revendedores em busca de lucros, religiosos lançam sistema online de encomenda das cobiçadas garrafas de sua abadia, onde se produz cerveja há 180 anos.

Monges trapistas belgas que fazem uma das cervejas mais cobiçadas do mundo, a Westvleteren 12, decidiram se abrir ao universo do comércio online para garantir que sua limitada produção chegue a amantes da bebida, e não a revendedores em busca de lucros. O site para vendas começou a funcionar nesta terça-feira (18/06).

Na abadia de Saint-Sixtus, na cidade belga de Westvleteren e onde hoje vivem 19 monges, a produção de cerveja começou em 1839, e a venda ao público, em 1878. A produção sempre foi limitada, e as vendas, controladas, para garantir que a fabricação de cerveja nunca dominasse a vida monástica ou que os monges faturassem mais do que o necessário.

Após a Segunda Guerra Mundial, eles decidiram vender sua cerveja apenas nos portões da abadia, em vez de em bares locais. Com a ascensão das cervejas artesanais e sites e conhecedores classificando a Westvleteren 12 como uma das melhores ou até a melhor cerveja do mundo, os monges abriram um sistema de encomendas por telefone em 2005.

A partir de então, passou a ser possível encomendar dois engradados de cerveja para serem coletados na abadia, mas cada cliente só podia fazer uma compra a cada 60 dias. Para contornar as regras, compradores passaram a usar diferentes números de telefone para adquirir mais que o permitido e, em alguns casos, revender as cervejas a preços inflacionados. Segundo o jornal britânico The Guardian, a abadia chegou a receber 85 mil ligações por hora.

O preço de 24 cervejas de Westvletern 12 é de 45 euros, e é preciso pagar uma caução de 15 euros pelo engradado e as garrafas. Isso significa que cada garrafa sai por 2,50 euros.

Os monges pedem aos compradores que não revendam a cerveja, mas em Bruxelas, por exemplo, uma garrafa de Westvleteren 12 pode custar ao menos 12 euros. Os monges afirmam terem ouvido falar que uma garrafa chegou a ser colocada a venda por 300 dólares em Dubai.

Um dos religiosos disse que, no ano passado, um supermercado holandês estocou 7.200 garrafas da cerveja trapista e as vendeu, acompanhadas de uma publicidade ilustrada por monges, a 9,95 euros cada.

“Isso abriu nossos olhos. Foi uma espécie de alerta para o fato de que o problema era tão sério que uma empresa era capaz de comprar tais quantidades. Isso realmente nos perturbou”, afirmou o monge Godfried, um dos poucos que, além de produzir, também bebe a cerveja.

Para evitar os revendedores em busca de lucros, a abadia lançou um sistema de encomendas online para substituir o telefônico com o objetivo de garantir o limite de dois engradados a cada 60 dias. Compradores terão que se registrar, e que novos compradores e os esperaram mais tempo desde sua última compra terão prioridade. Pela primeira vez, eles também poderão escolher e comprar garrafas sortidas das três cervejas Westvleteren produzidas na abadia: uma blonde com 5,8% de teor alcoólico; a Westvleteren 8, com 8% de teor alcoólico; e a famosa Westvleteren 12 – uma cerveja escura com 10,2% de teor alcoólico.

Os monges reconhecem que o novo sistema de encomendas online não vai eliminar completamente os revendedores em busca de lucros, mas pelo menos vai dificultar a compra em grandes quantidades. Eles também esperam que o novo sistema faça com que seja mais fácil para estrangeiros amantes da cerveja encomendem as produzidas na abadia, apesar de que ainda será preciso ir até a abadia para retirá-las.

No novo site, os monges informam que a loja online funciona em horários limitados, anunciados num calendário disponibilizado na própria página, e que a venda está disponível apenas para clientes que já tenham se registrado. Os horários para coleta também estão especificados no calendário.

Deixe seu comentário

Sobre este site

Site que reúne as notícias mais relevantes da mídia nacional e internacional.